segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Incoerências que afetam a Água&Floresta!

Políticas para a preservação da Água&Floresta - Ivy

Olá! Sempre que eu volto de Brasília trago alguma novidade (pro bem ou pro mal) p/ nossa Água&Floresta. Infelizmente, esta semana tenho coisas tristes a relatar.

Na 91ª Reunião Ordinária do CONAMA discutimos com o governo informações sobre o Complexo do Madeira, que consiste na construção de duas usinas hidrelétricas na Bacia Amazônica, Jirau e Santo Antonio. Serão afetadas comunidades indígenas, unidades de conservação, além dos bagres. A Bolívia também sofrerá conseqüências, mas o governo daquele país nem foi consultado.

A reunião começou no dia 10 com o Ministro Carlos Minc dizendo que os servidores públicos devem ser valorizados. No dia 11, quando as discussões sobre o Madeira foram feitas, (PASMEM!), o que se viu foi o parecer técnico feito pelos servidores do IBAMA (aqueles que deveriam ser valorizados), totalmente desrespeitado. Enquanto os técnicos apontaram que o empreendimento causará grande impacto na Bacia Amazônica, podendo causar uma Hecatombe, o staff político optou por dar a Licença de Instalação!!!!

Não adiantou de nada o Ministério Público e a ong Amigos da Terra entrarem com Ações Civis Públicas, o governo insiste na obra. A população de Rondônia não foi consultada, em especial os afetados pela hidrelétrica, mas o Secretário de Estado de Meio Ambiente estava todo sorridente na tribuna, defendendo a obra. Soube depois por um membro do alto escalão do MMA que Rondônia negociou uma compensação de R$120 milhões, que, com certeza, não serão usados para remediar os impactos ambientais, mas sim para algum "bolsa-esmola" da vida. Esqueceram a lei, o respeito e a vida!

Para ficar aqui registrado, segue uma poesia escrita pela representante do Estado de Rondônia no CONAMA, do segmento sociedade civil, que muito bem relatou em versos o ocorrido em Brasília:


As Mulheres Guerreiras no CONAMA

por Ivaneide Bandeira Cardoso (Neidinha, da Kanindé)

Uma seringueirinha pequeninha
achou que podia enfrentar os grandes
que queriam destruir o rio Madeira
convocou outras mulheres do sul
uma ela nem conhecia
só tinha ouvido falar.
Mas estavam lá
aquele grupo de mulheres
Telma, Zuleica, Ivy, Cristina e Neidinha
O sul e o norte juntos na mesma luta
Mulheres fortes
Diferentes
nos gestos
na cor
no porte
Mulheres guerreiras
todas unidas na luta para salvar o Madeira
Foram juntas enfrentar os Conselheiros do CONAMA
O Conselho que devia defender o meio ambiente
Mas que no final do último dia de luta
descobriram ser um Conselho
doente, demente, ausente, conivente...
Mas guerreiras que são
tentaram acordar a todos
Gritaram:
HECATOMBE NO MADEIRA!
GENOCÍDIO DE INDIOS ISOLADOS!
Nada adiantou.
As guerreiras descobriram
que os conselheiros não estavam ali
só seus corpos permaneciam nas cadeiras
mas que eram todos desprovidos de alma
de amor, de conhecimento técnico, e que quando votavam
não passavam de zumbis teleguiados
por um Governo que só pensa no lucro vil.
As mulheres guerreiras que são
sairam para pensar em um estratégia para salvar
o Madeira, a floresta e principalmente como ajudar aqueles conselheiros
a recuperarem suas almas".


O povo não sabe, mas esse governo se esqueceu completamente do que seja o tal desenvolvimento sustentável... SOCORRO!!!!!!!!!!!!!!

2 comentários:

Henrique disse...

IVY
MINHA CANDIDATA A PREFEITA PREFERIDA.
Seus textos são sempre muito bons.
Devoro sempre que posso.
Os de hoje são um alerta, pois é para isso mesmo que estamos aqui, para apontar os erros, colocar os dedos nas feridas, inclusive nas nossas, ou melhor, naquelas produzidas por gente em quem acreditávamos até bem pouco tempo.
Continue, que o caminho é sempre esse, só esse.
Não faça como tantos outros, que na primeira oportunidade mais vantajosa, acabaram por se bandear para o lado mais folgazim da vida.
Você é de um valor incomensurável.
um grande abracito vindo do mafuá
henrique perazzi de aquino
bauru sp
(www.mafuadohpa.blogspot.com)

Ivy disse...

Olá, Henrique!!! A admiração é recíproca! Estou sempre lendo o Mafuá e aprendo muito sobre a história de Bauru e sobre as pessoas que vivem aqui, muitas vezes isoladas, mas com tanto p/ nos ensinar!!!

Vamos juntos nessa luta, que é de TODOS! Beijão carinhoso!