quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

A produção do etanol e a perda da diversidade

Informação e educação – o caminho para a solução!
Blog Água e floresta!

Olá a todos!
Meu nome é Fernanda Abra, sou bióloga e a mais nova integrante do Instituto Ambiental Vidágua e estarei atuando na área de educação ambiental.
Acredito que a informação é a base da educação e brilhantemente a autora Michele Sato complementa dizendo que: “Uma educação que não for ambiental, não pode ser chamada de educação!”

Bom, um dos assuntos que está cada vez mais em voga e em quase todas as discussões de cunho ambiental são os biocombustiveis ou combustíveis verdes (greenfuel).
A percepção do brasileiro em relação ao etanol é que estamos fazendo um ótimo negócio, pintamos a imagem da produção de álcool sócio e ambientalmente sustentável e ganhamos milhões de dólares com as nossa exportações.

Achamos que deixando de consumir dinossauro podre (combustíveis fósseis!) estaríamos emitindo menos CO2 o que acarreta no aquecimento global.
Segue abaixo uma parte da matéria do FUNBIO sobre o recorde na exportação do etanol:

“o ministério divulgou o balanço sobre os lucros gerados com a produção e utilização do etanol. O uso do combustível ambientalmente correto evitou a importação de 1,1 bilhão de litros de diesel de petróleo, o que rendeu aproximadamente US$ 976 milhões para o Brasil.”
(http://www.funbio.org.br/publique/web/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=6272&sid=17)

Acontece que a cana está tomando o lugar das nossas florestas, a Mata Atlântica e o Cerrado têm sido suprimidos para dar lugar aos mares de cana de açúcar. Somem as nossas matas, matam os nossos bichos, aumentam a erodibilidade dos solos, mas a cana continua avançando!

A toque de caixa, a qualquer custo...
Vários estudos ainda afirmam que a queima da cana libera gás carbônico, ozônio, gases de nitrogênio e de enxofre (responsáveis pelas chuvas ácidas), liberam também a indesejada fuligem da palha queimada (que contém substâncias cancerígenas) e provocam perdas significativas de nutrientes para as plantas e facilitam o aparecimento de ervas daninhas e a erosão, devido à redução da proteção do solo. As internações por problemas respiratórios, intoxicações e asfixias aumentam consideravelmente durante a "safra" da fuligem.

Tenhamos a plena e responsável consciência que estamos longe de que o etanol se torne realmente uma alternativa sócio e ambientalmente sustentável!

Até mesmo a ex ministra do meio ambiente, Marina Silva, se pronuncionou dizendo que: para o álcool ser um combustível verde, nenhuma árvore a mais poderia ser derrubada!

E quantos milhões será que perdemos com os impactos ultrajantes e perdas incalculáveis da nossa flora, fauna, solo, alterações do ciclo hidrológico e ciclos microclimáticos que o cultivo da cana causa?
Será que alguém, alguma sumidade política/científica poderia quantificar os impactos?
Pois quanto vale, qual a perda econômica de uma copaíba que foi derrubada para cultivo da cana? Ou um jacarandá? E o ipê? Quanto vale um tamanduá? Um lobo guará? E quanto o Ministérios da saúde gasta com as milhares de pessoas que sofrem com problemas respiratórios que a fuligem de cana queimada causa? E o lucro com o álcool ainda justifica o problema com o cultivo de alimentos que já estamos enfrentando?
Para manter essa máscara, nós brasileiros estamos pagando muito caro, pois como diz o ditado popular: “economia pouca é bobagem”

E aê, vai encher o tanque?

Assista ao vídeo!



Um comentário:

BRUNO disse...

Primeiramente parabéns pela coluna...precisamos refletirmos mais sobre estas questões...

Ao meu ver....
Há pessoas que não pensam na fauna e flora, só pensam em uma coisa, que o mundo capitalista principalmente em tempos de crise como os de hoje quer...DINHEIRO...

Como ficará nosso planeta daqui algum tempo.. tanto pelo aquecimento global e pela nossa fauna que a cada dia novas espécies estão desaparecendo no meio de nossa ignorância, nossa flora que em questão de segundos deixa de existir por vaidade de alguns.Nós já estamos colhendo o que plantamos vemos essas mudanças climáticas nos dias de hoje, e perguntamos a culpa é de quem???


Gostaria de compartilhar com vocês....

http://br.youtube.com/watch?v=Bm0KJeS3miY


Pensem nisso:

E a luta é de todos nós e não apenas de alguns....pois moramos no mesmo planeta terra...
Atitudes pequenas criam grandes gestos....

Att.
BRUNO E. S. DARIO