segunda-feira, 20 de outubro de 2008

A responsabilidade no prato!


Políticas para a preservação da Água&Floresta - Ivy


Depois de duas semanas de férias, estou de volta ao batente, revigorada!!!! Como vocês puderam ler no post da última semana, estive no Uruguay com minha família alemã e pude observar vários aspectos sobre a situação da Água&Floresta por lá. Se alguém quiser mais alguma informação, é só me mandar um e-mail, pois hoje escolhi um outro assunto, que está pertinho de todos nós: o consumo do palmito juçara.

O Vidágua há muito tempo realiza ações para alertar a população sobre sua responsabilidade ao consumir PALMITO. Você deve estar se perguntando o que esses ambientalistas estão inventando agora?! Nem um palmitinho, gostoso, delicioso, na salada, na pizza ou na empada???? Não, meus amigos, não somos tão radicais a esse ponto. Mas existe uma coisa que VOCÊ pode fazer para ajudar a preservação do palmito juçara!

Primeiro vou explicar para vocês o problema, afinal, já devem ter imaginado um montão de coisas. O palmito juçara é uma palmeira que leva de 8 a 12 anos para se desenvolver. Ao se retirar o palmito (aquele próprio para consumirmos), a palmeira inteira é sacrificada. Ou seja, para mais ou menos 30 centímetros de tronco próprio para o consumo, uma árvore que demorou até 12 anos para crescer desaparece!!!!!!! O juçara é fonte de alimento para diversas espécies de pássaros e está diretamente integrada à biodiversidade da Mata Atlântica, bioma já extremamente degradado em nosso país. A quantidade de “palmiteiros” ilegais, que desafiam a lei e atuam de forma criminosa, é enorme!!! No Vale do Ribeira, onde o Vidágua tem uma base, acompanhamos de perto a desgraça que acontece com esta extração irregular. Produtores que mantêm áreas preservadas para um manejo sustentável são vítimas de predadores noturnos, que, ARMADOS, fazem seu trabalho sujo PORQUE ENCONTRAM MERCADO CONSUMIDOR!!!!

Isso sem falar dos perigos à saúde!!!! A falta de higiene no envase (que às vezes é feito na própria mata!!!) causa uma doença chamada botulismo, e é fatal!!!!

Meu Deus!!! Mas o que fazer então??? Existem outras palmeiras que dão um palmito bem gostoso também (açaí e pupunha) e que se desenvolvem em 18 meses! Além disso, o palmito é extraído de “filhotes”, e não do tronco principal, ou seja, a planta continua vivinha!!!! Do juçara podemos extrair outros produtos (como o fruto, por exemplo) e fazer gostosuras como bolos, sorvetes e doces! A Secretaria de Estado do Meio Ambiente lançou no mês de setembro uma campanha pelo palmito sustentável (www.ambiente.sp.gov.br/palmitosustentavel), vale a pena dar uma olhada.

Essa é uma maneira gostosa de preservar a FLORESTA!!!!!

Hum... esse papo me deu fome! Vou almoçar!!!! Um beijo grande e até a próxima semana!

5 comentários:

Elson e Claudia Cardoso disse...

bdFelizmente, nunca gostei de palmito. Brilhante informação. E os cogumelos? Tem algum tipo raro, que passa pela mesma situação?

Ivy disse...

Putz, Elson, agora vc me pegou!!!! Vou pesquisar essa história dos cogumelos e te informo! Beijão!

Anônimo disse...

nossa!!!
e esse juçara é vendido enlatado, tipo nos mercados?

coincidentemente: Jussara

Ivy disse...

Pois é, Juss(ç)ara!

Todos nós estamos sujeitos a consumí-lo. Os palmitos "legalizados" têm um número de registro do IBAMA na lata/vidro. Evite também aqueles cortados em pedacinhos, pois geralmente essa é uma ação para misturar diferentes tipos de palmito e enganar a fiscalização.

Abraços.

Elson Teixeira Cardoso disse...

Acho que a pergunta sobre os cogumelos não foi muito inteligente. É que, como existem cogumelos comestíveis, tóxicos e psicotrópicos, supus que, no primeiro caso, pudesse haver algum tipo de extinção. Mas são parasitas, não?
Deixando os cogumelos de lado, fiz um link deste "point" no meu blog: www.entre-textos.blogspot.com

bj